Loading...Loading...
1

Recanto da Escrita | Evento | Encontros para transformar o fim do mundo

By Rogério H.P Pontenegro

Last update at 06/10/20214 Min.

Como vimos apenas um dia depois, começou nessa quarta-feira passada ( dia 09), um ciclo de encontros “Para transformar o fim do mundo” que é realizado pelo Sesc Avenida Paulista, no canal no Youtube, e que terá como mote as obras de nomes como Adirley Queirós, China Miéville, Octavia Butler, Spike Jonze e Ursula K. Le Guin para discutir formas de resistir e mudar nossa realidade a partir de diálogos entre produções audiovisuais e literárias.
Iniciando os encontros, logo mais, às 20h, o filme Branco sai, preto fica, de Adirley Queirós e A parábola do semeador, de Octávia Butler, serão discutidos por Anne Quiangala, Camilla Dias e mediação de Ana Meira. Os próximos encontros acontecerão sempre as quartas, no mesmo horário, até o dia 30 de junho e serão transmitidos pelo canal do Sesc no YouTube. Já a programação completa você confere clicando aqui.   
16/06 — Ela (Spike Jonze, 2013) e Estação Perdido, de China Miéville.
Com Isabel Wittmann, Vic Vieira e mediação de Aline Valek.
Amor entre espécies, ciborgues, inteligência artificial, monstruosidades, violência de gênero, corpos, exploração, alteridade. Nesse encontro, Isabel Wittmann (Feito por elas) e Vic Vieira (Vicverso) conversam sobre o filme Ela (Spike Jonze, 2013) e o livro Estação Perdido, de China Miéville (trad. Fábio Fernandes e José Baltazar Pereira Júnior, Boitempo, 2016), com mediação de Aline Valek (Bobagens imperdíveis).
Ela
Direção: Spike Jonze
Duração: 126min
Gênero: Drama, Romance, Ficção científica
Ano: 2014
País: EUA
Idioma: Inglês
Data de lançamento: 14/02/2014
Classificação Indicativa: 14 anos
Sinopse: Recém-divorciado, Theodore compra um novo sistema operacional para seu computador e acaba se apaixonando pela voz do programa, começando assim uma incomum história de amor.
Elenco: Joaquin Phoenix, Amy Adams, Rooney Mara, Scarlett Johansson
Disponível em Google Play, Youtube, Now, Globo Play
Estação Perdido
Autor: China Miéville
Ano da primeira publicação: 2000
Ano da edição: 2016 (1ª edição)
Pais: Reino Unido
Editora: Boitempo
Tradução: Fábio Fernandes e José Baltazar Pereira Júnior
O aclamado romance que consagrou o escritor inglês China Miéville como um dos maiores nomes da fantasia e da ficção científica contemporânea. Miéville escreve fantasia, mas suas histórias passam longe de contos de fadas. Em Estação Perdido, primeiro livro de uma trilogia que lhe rendeu prêmios como o British Fantasy (2000) e o Arthur C. Clarke (2001), o leitor é levado para Nova Crobuzon, no planeta Bas-Lag, uma cidade imaginária cuja semelhança com o real provoca uma assustadora intuição: a de que a verdadeira distopia seja o mundo em que vivemos.Com pitadas de David Cronenberg e Charles Dickens, Bas-Lag é um mundo habitado por diferentes espécies racionais, dotadas de habilidades físicas e mágicas, mas ao mesmo tempo preso a uma estrutura hierárquica bastante rígida e onde os donos do poder têm a última palavra. Nesse ambiente, Estação Perdido conta a saga de Isaac Dan der Grimnebulin, excêntrico cientista que divide seu tempo entre uma pesquisa acadêmica pouco ortodoxa e a paixão interespécies por uma artista boêmia, a impetuosa Lin, com quem se relaciona em segredo. Sua rotina será afetada pela inesperada visita de um garuda chamado Yagharek, um ser meio humano e meio pássaro que lhe pede ajuda para voltar a voar após ter as asas cortadas em um julgamento que culminou em seu exílio. Instigado pelo desafio, Isaac se lança em experimentos energéticos que logo sairão do controle, colocando em perigo a vida de todos na tumultuada e corrupta Nova Crobuzon.
Sobre o autor
China Tom Miéville é um escritor, acadêmico e quadrinista inglês. Premiado escritor da chamada ‘weird fiction’, China também é professor da Univerdidade de Warwick, com PhD em marxismo e direito. Militante de esquerda, membro da International Socialist Organization, foi um dos fundadores do Left Unity. Em 2014, o autor fechou um acordo com a Boitempo que garante a publicação de todos os seus romances no Brasil. O premiado thriller existencial A cidade & a cidade (2009) foi o primeiro título lançado pela editora. O livro arrebatou a crítica internacional, que chegou a compará-lo com Kafka, George Orwell e Phillip K. Dick. Em 2016, será a vez de Estação perdido, romance que revolucionou a ficção científica e mudou as regras do gênero. O livro é o primeiro de uma série que inclui ainda The scar (2002) e Iron council (2004), com histórias de piratas e faroeste ambientadas no mundo de Bas-Lag. China Miéville chama a atenção no universo literário por seu perfil atípico: seu visual contrasta com a bagagem acadêmica e intelectual de marxista — o que não o impediu de ser um dos fundadores de um partido inglês da esquerda (Left Unity), nem de se formar em Antropologia Social pela Universidade de Cambridge, com Mestrado e Doutorado em Filosofia do Direito Internacional pela London School of Economics. Hoje ele é professor de escrita criativa na Warwick University. Considerado um escritor genial, unanimidade entre os fãs de ficção científica, cultuado e reconhecido no mundo inteiro como a cara da nova weird fiction (gênero historicamente atribuído a H.P. Lovecraft e E.T.A. Hoffman, dentre outros), já foi duplamente contemplado pelo British Fantasy Award, recebeu três vezes o Arthur C. Clarke Award e é equiparado, em sucesso de público e crítica, a Neil Gaiman, Nick Hornby e Will Self.
Fonte: PublishNwes | Encontros do Fim do Mundo.