O que eu, você e Stephen King temos em comum?
0
0

O que eu, você e Stephen King temos em comum?

Descubra a dica surpreendente de Stephen King para superar o bloqueio criativo e nunca mais ficar paralisado pela falta de inspiração.

Livro Aberto
3 min
0
0
Email image

Antes de começar a ler essa news, vamos alinhar as expectativas. Não ouso escrever ficção ou terror, nem teria tamanha criatividade para isso. Mas, se tem alguém que pode falar com propriedade sobre escrita, essa pessoa é o escritor Stephen King.

Email image

Se você nunca ouviu falar sobre Stephen King, deixe-me te situar - principalmente se você não for lá fã de filmes e histórias de terror, como eu. King é autor de livros famosos que foram adaptados para as telonas, como “Carrie, a estranha” e “It, a coisa”, "À espera de um milagre", além de diversos outros, sendo considerado um dos maiores autores de terror da história.

E, se você chegou até esse ponto da news, deve estar se perguntado: "ok, mas o que eu, a Fer e o Stephen King tem em comum?". Algo relacionado à escrita, você deve estar pensando, correto? Se foi isso que você pensou, B I N G O ! ! !

Email image

E se eu te falar que o mestre do terror passou poucas e boas com o tal do bloqueio criativo? 😬 Sabe, aquele temido momento em que você olha para a tela em branco e nada, nadinha, acontece.

A dificuldade do bloqueio criativo

Eu e você também já estivemos nesta posição: sentados na frente do computador ou com a caneta e o caderno na mão, prontos para escrever... mas as palavras simplesmente não vêm. Pode ser frustrante, desesperador e, às vezes, faz a gente se perguntar se somos mesmo escritores.

Mas, sabe de uma coisa? Sempre é possível mudar, ajustar as rotas e encontrar vias alternativas para superar este bloqueio criativo.

Pensando em dicas úteis para te ajudar a mudar essa rota, encontrei mais detalhes sobre a escrita de King e descobri uma coisa muito interessante que vai além do (bom e velho) conselho clássico "escreva todos os dias" ou "leia sempre e leia mais", que é:

Empurrar além da resistência.

Na visão do escritor, o bloqueio criativo pode ser uma forma de resistência, frequentemente associada ao medo ou à insegurança sobre a qualidade do nosso trabalho. Ele aconselha os autores a ultrapassarem essa resistência, continuando a escrever mesmo que o texto pareça forçado à primeira vista.

Além disso, King ainda cita outras dicas que achei importante compartilhar aqui com você:

  1. Primeiro escreva para você, depois para os outros;
  2. Não se importe em fazer as pessoas felizes com o seu texto;
  3. Concentre-se no seu estilo;
  4. Escrever tem a ver com ficar feliz;
  5. Não fique paranoico com correções gramaticais.

Depois de ler este texto, entenda que o que eu, você e King temos em comum é que, a partir de hoje, não vamos ser paralisados por conta do bloqueio, ok? Vamos continuar a escrever mesmo quando tudo parecer impossível.

Email image

Ah, e se bater a frustração ou a solidão durante esse processo, te sugiro a compartilhar suas experiências com o nosso grupo de escritores no WhatsApp. Estar em uma comunidade pode ser uma fonte valiosa de apoio e inspiração (e essa também é uma dica do mestre King!).

Entre para o nosso grupo

Agora posso te pedir um favorzão? Encaminhe esse conteúdo pra quem também precisa refletir sobre esse tema!

Compartilhar conteúdo

Até a próxima leitura!

Com amor,

Fernanda Vizian

P.S.: Não se esqueça de conferir seu e-mail semanalmente para mais novidades e conteúdo exclusivo! 💌


Email image

Você está recebendo este e-mail porque se inscreveu na newsletter Livro Aberto: sua dose semanal sobre escrita e literatura. Por aqui compartilho os bastidores do mundo literário, os segredos de autores, dicas de escrita e as histórias por trás das histórias.