Loading...Loading...
30

Não há só uma forma de homeschooling

By Superbloom

Last update 6 months ago4 Min.

No meu último artigo, eu falei sobre como a internet tende a causar uma revolução no ensino superior, dando muito mais liberdade aos estudantes.
Analogamente, o homeschooling representa uma revolução no ensino básico. Isso porque ele libera uma INFINIDADE de opções educacionais.
Muitas pessoas têm uma visão limitada do homeschooling. Imaginam um cônjuge passando o dia em casa para educar os filhos enquanto o outro garante o sustento da família e, em cima disso, acreditam que essa realidade só está ao alcance de pessoas muito ricas.
Mas essa visão está errada.
Primeiro porque essa realidade está ao alcance de qualquer família. Isso fica evidente diante de um cálculo econômico familiar honesto, que considera os custos escondidos de trabalhar fora e as oportunidades de empreender e economizar em casa.
Segundo porque essa é só UMA das VÁRIAS possíveis realidades dentro do homeschooling.
Existem várias formas de substituir as ineficiências do sistema escolar pelos benefícios do homeschooling:
  • 1) Tutoria realizada pelos pais. É a modalidade tradicional. Tem seus momentos de planejamento e estudo por parte dos pais sim. Mas também tem momentos de "piloto automático", principalmente se houver a presença de materiais bons e extensos, que possuem vários exercícios que já se encontram (ou podem ser) repetidos e variados até a maestria. Uma vantagem extra e importante desse tipo de material é que ele permite que o aluno se adiante no seu próprio ritmo, sem ter que esperar o planejamento de novas lições pelos pais.
  • 2) Contratação de Tutores. Uma pessoa que teve um bom desempenho no ensino médio ou no bacharelado e que apoiava os estudos dos seus colegas provavelmente tem uma capacidade-base de ensino melhor que a de um professor, que foi influenciado pelas ideologias destrutivas que dominam a pedagogia. Além disso, a capacidade de ensino de um tutor cresce rapidamente: havendo dificuldade no ensino de algum assunto, um tutor vai buscar ajuda não na pedagogia, mas em técnicas específicas ao assunto. Por fim, a relação um-a-um da tutoria potencializa MUITO o ensino. Consequentemente, até tutores baratos entregam bons resultados. Basta que atuem com comprometimento em horários fixos semanais.
  • 3) Cursinhos Especializados. A educação escolar pode ser substituída por uma combinação de cursinhos especializados em diferentes disciplinas. Para matemática, português e inglês, o Kumon é uma opção incrível desde a primeira infância. Cursinhos de redação, esportes, arte e pré-vestibulares também são interessantes. Muitos cursinhos trabalham com turmas menores e materiais otimizados, o que faz com que a instrução do professor seja praticamente um-a-um.
  • 4) Coops. Muito populares nos EUA, as coops se baseiam na associação de algumas famílias para a contratação de um professor para instruir uma pequena turma de 5-8 alunos que se reúnem nas casas das próprias famílias. O professor tem tempo para dar atenção individual para cada aluno e, tradicionalmente, acompanha os mesmos alunos ao longo dos anos. Consequentemente, o professor não só consegue fornecer uma instrução muito melhor como também sente uma forte responsabilidade pelo futuro dos alunos. A melhoria que isso representa em relação a uma escola tradicional — onde não há responsabilização, instruções fracas são vangloriadas e problemas são empurrados para os próximos professores — é tanta que há quem reclame de como coops e outras associações do tipo representam uma "ameaça à democracia educacional" e outras baboseiras do tipo.
  • 5) Autodidatismo.  Busque por relatos sobre o homeschooling e você verá uma constante: na segunda metade do ensino fundamental o aluno já demonstrará a capacidade de estudar sozinho e no ensino médio a presença dos pais é totalmente desnecessária. Nesses momentos, os pais ainda devem influenciar os seus filhos apontando o que estudar, que materiais usar e que objetivos devem ser alcançados, mas os filhos não precisam da presença dos pais para estudarem. O autodidatismo é uma consequência natural da maestria da língua, da matemática, da disciplina e de ferramentas de estudo: resumos, diagramas, flashcards, livros, google, video-aulas, etc. E tudo isso é mais fácil de alcançar dentro do homeschooling.
Por fim, você pode COMBINAR as opções acima. Escolher uma para cada disciplina ou uma para cada momento da vida, por exemplo.
Ou ainda, você pode COMPLEMENTAR o ensino escolar do seu filho com uma das opções acima. Afinal, não há como escapar do seguinte fato: os melhores alunos em qualquer turma escolar são aqueles que receberam e recebem instrução adiantada e regular fora da escola.
Vejo você sexta que vem no meu próximo artigo! Se você quiser receber os meus artigos semanais no seu e-mail, clique no botão abaixo: