Loading...Loading...
10

15 perguntas para diagnosticar a sua participação na educação dos seus filhos

By Superbloom

Last update Last month11 Min.

No meu último artigo, eu falei sobre como a participação dos pais na educação dos filhos é o fator que MAIS EXPLICA as diferenças entre os estudantes de um dado país.
Se um aluno se destaca, é porque ele recebeu e recebe apoio precoce e regular dos pais.
Mas... Como esse apoio se expressa na prática? De três formas:
  • Estímulo — Interações estimulantes dos pais com os filhos;
  • Instrução — Instrução explícita de conhecimentos, tanto factuais ("X é Y") quanto procedurais ("Como fazer Z"), por parte dos pais;
  • & Liderança — Exemplificação não-verbal e transmissão verbal de valores, princípios morais e processos mentais ("Como cheguei às conclusões ABC").
Show... E em que áreas esse apoio se expressa? Em cinco áreas:
  • Na formação de HÁBITOS de trabalho, organização e disciplina;
  • No desenvolvimento da LINGUAGEM, falada e escrita;
  • No SUPORTE ao aprendizado acadêmico ou curricular;
  • No desenvolvimento das ASPIRAÇÕES que o aluno tem para si mesmo;
  • E na exploração de atividades EXTRACURRICULARES.
Se nós fizermos então um cruzamento das três formas de apoio com as cinco áreas, iremos obter uma matriz que revela a existência de 15 questões que devemos trabalhar se quisermos garantir um apoio completo à educação dos nossos filhos:
Pais que desejam diagnosticar a sua participação na educação dos seus filhos podem então responder 15 perguntas de SIM ou NÃO relativas a essas 15 questões.
Para cada resposta SIM, um símbolo de adição (+) deve ser adicionado à matriz acima no campo correspondente. Um campo receberá dois símbolos de adição (++) quando tanto o pai quanto a mãe responderem SIM.
As perguntas são propositalmente formuladas como perguntas de SIM ou NÃO e, portanto, meias-respostas não são admissíveis. Se você sentir que uma meia-resposta é adequada, responda NÃO e faça um lembrete mental do que falta para você alcançar o SIM.
Dito isso, vamos ver então as 15 perguntas?
1. Quando você está com o seu filho, você ocupa o tempo dele com exercícios, leitura e outras atividades educacionais MAIS DO QUE você o ocupa com televisão, celular e outras atividades recreacionais?
Aqui, o tempo maior comunica a existência de uma prioridade. Para alcançar o SIM nessa pergunta, identifiquei quatro táticas que podem te ajudar:
  • Manter atualizada uma lista de exercícios e leituras prontamente aplicáveis;
  • Só permitir atividades recreacionais depois que as atividades educacionais de cada dia estiverem realizadas;
  • Inserir o filho em um programa (domiciliar, de reforço ou escolar) que inclua um volume acima-da-média de deveres de casa;
  • & Perceber que fazer o filho acompanhar você nas suas atividades produtivas (trabalho, exercícios físicos, cozinha, limpeza) pode ser uma experiência educacional.
Critério-chave: Tempo.
Posição: Estímulo x Hábitos. Essa pergunta avalia se você estimula bons hábitos.
2. Você delega alguns afazeres-de-casa para o seu filho, exige pontualidade e o instrui na realização desses afazeres?
Obviamente, a quantidade e dificuldade dos afazeres parte do zero para um filho recém-nascido e deve ir subindo até a conquista de uma independência no final da adolescência.
Para o filho que ainda não é capaz de fazer nada, você pode simplesmente fazê-lo observar as atividades que futuramente serão delegadas para ele.
Critérios-chave: Delegar. Pontualidade. Instrução.
Posição: Estímulo x Instrução. Essa pergunta avalia se você instrui bons hábitos.
3. Você dedica momentos específicos do seu dia e espaços adequados da sua casa à alimentação, ao sono, ao trabalho e à recreação E, SE SIM, você garante esses mesmos momentos e espaços análogos para o seu filho?
Aqui, você deve ter intencionalmente desenhado esses momentos e espaços para a sua vida e para a vida dos seus filhos. Algumas famílias desenvolvem uma rotina completa a partir desse desenho intencional.
Critério-chave: Intencionalidade.
Posição: Estímulo x Liderança. Essa pergunta avalia se você exemplifica e transmite bons hábitos.
4. Você participa, falando e ouvindo, de um momento regular de conversa com o seu filho sobre os eventos dos seus respectivos dias e assuntos correlatos?
Esse tipo de conversa é uma grande oportunidade para que o seu filho adquira vocabulário e estruturas de frase. A medida que o filho adquire maturidade, essas conversas também se tornam um ambiente importante para a transmissão de valores. No caso de um filho recém-nascido, a conversa será unilateral, claro, mas mesmo assim ela é importante para o desenvolvimento da escuta e da fala.
Por fim, a regularidade faz com que esse momento receba a atenção necessária para que ele seja proveitoso. Você pode optar por uma conversa diária, por uma conversa semanal mais longa, por uma conversa mensal mais épica ou até usar mais de uma modalidade de conversa, tendo em mente o que pode ser produtivamente explorado em cada uma.
Critério-chave: Regularidade.
Posição: Estímulo x Linguagem. Essa pergunta avalia se você estimula o desenvolvimento da linguagem.
5. Você corrige o seu filho quando ele erra na fala ou no uso de alguma palavra e o ensina novas palavras para que ele se comunique melhor?
Aqui, você só pode dizer SIM com segurança se você estiver regularmente prestando atenção no seu filho.
Como garantir essa atenção fica ao seu critério. Uma forma é ter muitos e longos momentos sem distrações com o seu filho. Outra é ter um momento regular de atenção ativa, como as conversas regulares da pergunta 4 ou uma reflexão diária breve.
Critério-chave: Atenção.
Posição: Instrução x Linguagem. Essa pergunta avalia se você instrui o desenvolvimento da linguagem.
6. Você lê livros regularmente, inclusive com o seu filho?
A regularidade deve estar presente pois ela comunica uma valorização da leitura. A frequência fica ao seu critério. Alguns minutos por dia? Algumas horas no final de semana? Um livro por mês? Tanto faz.
Já a leitura com o filho transfere a própria prática da leitura. A forma de leitura em conjunto depende da idade do filho. Você deve ler para os muito pequenos, corrigir a leitura dos pequenos e discutir a leitura com os maiores. Com os maiores ainda, você pode simplesmente compartilhar um momento de leitura, cada um com o seu próprio livro.
Critério-chave: Regularidade.
Posição: Liderança x Linguagem. Essa pergunta avalia se você exemplifica e transmite práticas que apoiam o desenvolvimento da linguagem.
7. Você elogia o seu filho sempre que ele faz um trabalho que merece elogio e você comunica aprovação sempre que ele acerta algo que merece uma confirmação?
Releia os comentários da pergunta 5.
Critério-chave: Atenção.
Posição: Estímulo x Suporte. Essa pergunta avalia se você estimula o seu filho a estudar.
8. Você regularmente supervisiona o aprendizado curricular do seu filho, identifica pontos de dificuldade e oferece reforço?
Aqui, uma supervisão mensal tende a deixar que muitas coisas escapem. É indicado que você acompanhe os estudos do seu filho pelo menos uma vez por semana.
O reforço pode ser fornecido por você mesmo ou você pode usar a internet junto com o seu filho para encontrar uma referência ou vídeo que o auxilie.
Em situações de primeira infância, considere as habilidades de crianças com a mesma idade como a referência "curricular" que você deve buscar atingir ou superar.
Critérios-chave: Regularidade. Reforço.
Posição: Instrução x Suporte. Essa pergunta avalia se você instrui o estudo do seu filho.
9. Você disponibiliza para o seu filho um lugar quieto, limpo e sem distrações para estudo, com acesso a materiais de referência e aprendizado, e, EM CIMA DISSO, desenha a sua rotina para que ela não atrapalhe os estudos do seu filho?
Releia os comentários da pergunta 3, focando agora na eliminação de tudo que pode distrair o estudo do seu filho.
Critério-chave: Intencionalidade.
Posição: Liderança x Suporte. Essa pergunta avalia se você exemplifica e transmite práticas que apoiam o estudo do seu filho.
10. Você possui e comunica aspirações educacionais e vocacionais altas para o seu filho?
Aspirações altas não implicam na escolha de uma carreira específica. Elas involvem a crença no improvável como um motor para o alcance de resultados altos e de habilidades avançadas e úteis. Como o que é útil é subjetivo, há bastante espaço aqui para que os pais comuniquem valores que influenciem os filhos a buscarem caminhos belos, tanto para os olhos dos pais quanto para os olhos dos filhos.
Aqui, a comunicação deve se dar pela fala mas também por ações como: ajudar na formulação de planos; ora fazer, ora justificar sacrifícios de tempo e dinheiro; encorajar amizades com outras crianças sérias e com aspirações semelhantes; etc.
Critérios-chave: Acreditar. Valores. Comunicar.
Posição: Estímulo x Aspirações. Essa pergunta avalia se você estimula aspirações altas no seu filho.
11. Você estabelece previamente os resultados que gostaria de ver o seu filho alcançar e oferece apoio para o alcance desses resultados?
Releia os comentários da pergunta 8 e entenda essa pergunta como uma versão orientada-a-resultados da pergunta 8.
Se na pergunta 8 você se preocupava em manter o seu filho no nível estabelecido por currículos oficiais, nesta você se preocupa em adiantar o seu filho, em fazê-lo se destacar e em dar o que ele necessita para alcançar as suas aspirações.
Essa pergunta é portanto um pouco mais difícil que a pergunta 8 uma vez que ela requer que você supervisione e reforce não só as atividades do dia-a-dia do seu filho, mas também o caminho geral que ele está percorrendo.
Critérios-chave: Regularidade. Reforço.
Posição: Instrução x Aspirações. Essa pergunta avalia se você instrui os passos necessários para o alcance de aspirações altas.
12. Você valoriza o aprendizado e sinaliza a importância dele para o seu filho?
Na sua própria vida, valorizar o aprendizado significa ter uma mentalidade de crescimento, de que você pode sempre aprender algo novo.
Já sinalizar a importância do aprendizado envolve demonstrar interesse no aprendizado do filho. Isso significa, a partir do momento em que o seu filho já estiver falando frases curtas, perguntar regularmente a ele sobre o que ele está estudando e ouvir as respostas dele com atenção. Antes disso, os processos de feedback cobertos pelas perguntas 5 e 7 já atuam como uma sinalização da importância do aprendizado.
Critérios-chave: Valorizar. Perguntar. Ouvir. Dar Feedback.
Posição: Liderança x Aspirações. Essa pergunta avalia se você exemplifica e transmite um interesse pelo crescimento intelectual.
13. Você expõe o seu filho a conhecimentos enciclopédicos regularmente?
Aqui, as bibliotecas devem ser as suas aliadas principais. Elas permitem que o seu filho explore um mundo de livros e de conhecimentos diversos gratuitamente ou por um custo muito baixo. Se você frequenta uma biblioteca pelo menos mensalmente, sempre passando múltiplas horas lá e alugando algum livro, sempre que possível, você pode responder SIM aqui.
Documentários também são uma opção. Filmes, músicas, programas de tv, atividades culturais e museus também podem cumprir esse papel, desde que não sejam superficiais ou contraproducentes. É preciso fazer uma curadoria dessas mídias.
Critérios-chave: Bibliotecas e/ou Curadoria de Conteúdos.
Posição: Estímulo x Extracurriculares. Essa pergunta avalia se você estimula a aquisição de conhecimentos fora do currículo formal.
14. O seu filho está inserido em algum programa extracurricular E, SE SIM, você apoia de alguma forma a participação dele nesse programa?
Se você está lecionando o programa você mesmo, o apoio já está garantido. Se não, algum apoio regular, mesmo que pequeno, é necessário para comunicar a valorização desse programa.
Critérios-chave: Inserção. Apoio.
Posição: Instrução x Extracurriculares. Essa pergunta avalia se você instrui o seu filho a desenvolver alguma habilidade extracurricular.
15. Você se interessa por hobbies, jogos, livros, revistas e/ou programas de TV com algum valor educacional e compartilha essas atividades e/ou discussões sobre esses interesses com o seu filho?
O que deve ser ressaltado aqui é o compartilhamento. É a realização em família da atividade que permite que essas atividades sejam particularmente memoráveis e enriquecedoras.
Portanto, você pode responder SIM aqui se você tiver alguma atividade que tenha algum valor educacional e que seja constante no seu dia-a-dia, uma vez que tanto você quanto o seu filho gostam muito dela. Se toda a família gostar da atividade, melhor ainda.
Algumas atividades e interesses como cozinha, xadrez, filosofia e política possuem muita profundidade e são portanto inesgotáveis. Outras atividades são mais vazias e efêmeras.
Critério-chave: Compartilhamento.
Posição: Liderança x Extracurriculares. Essa pergunta avalia se você exemplifica e transmite uma curiosidade e um interesse por assuntos fora da sua área de expertise.
E aí? Como você foi no diagnóstico? Muitos campos ficaram em branco? Pois saiba que esses campos em branco são oportunidades para você melhorar a sua atuação!
Essas perguntas foram adaptadas de um diagnóstico compartilhado pelo pesquisador Benjamin Bloom, baseado na dissertação "The Identification and Measurement of Environmental Process Variables That Are Related to Educational Achievement." (Dave, 1963)
As seguintes adaptações foram feitas em relação ao diagnóstico original:
  • O escopo foi expandido para incluir filhos de todas as idades e as possibilidades habilitadas pelo homeschooling e suas variantes. O diagnóstico original era centrado em um apoio ao ensino fundamental escolar;
  • A estrutura matricial 3 x 5 foi idealizada, para facilitar a identificação do que deve ser trabalhado mais urgentemente. Você pode identificar que as suas fraquezas se concentram na coluna HÁBITOS ou na linha LIDERANÇA, por exemplo;
  • & As questões da leitura com os filhos (#6) e da inserção em um programa extracurricular (#14) foram adicionadas.
Espero, com essas modificações, ter deixado o diagnóstico ainda mais robusto.
E aí, gostou deste artigo? Então clique no botão abaixo para receber no seu e-mail os meus próximos artigos semanais:
Conhece alguém que deveria realizar esse diagnóstico? Então clique no botão abaixo para compartilhar este artigo:
Vejo você no artigo da semana que vem!