Gabriel Ishida
Gabriel Ishida
#218 Fatores de ranqueamento do Google
1
0

#218 Fatores de ranqueamento do Google

Estudo mostra o que influencia na posição do seu site na busca do Google

Gabriel Ishida
3 min
1
0

 ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏ ‌​‍‎‏

#TBT é a edição #182 contendo dados sobre tráfego falso em sites e aplicativos.

Email image

A plataforma Semrush lançou um estudo sobre os fatores de ranqueamento do buscador Google. Foram coletados dados de mais de 16 mil buscas em inglês com mais de 100 pesquisas mensais e analisaram os 20 primeiros sites ranqueados para cada busca.

Com isso, separaram os fatores de ranqueamento em seis categorias: fatores de SERP (search engine results page), fatores de URL e domínio, fatores de backlinks, sinais de usuários, fatores de conteúdo e fatores de experiência do usuário. As principais descobertas estão abaixo.

Email image

FATORES COM ALTA CORRELAÇÃO PARA O RANQUEAMENTO

Disparado, a relevância do texto da página é o fator principal para o ranqueamento no Google. Ou seja, se seu texto é relevante para a busca do usuário, ele naturalmente será melhor ranqueado.

A composição da URL/domínio também possuem vários fatores importantes. Ter URLs amigáveis, ou seja, de fácil compreensão e organizadas de forma lógica, o buscador do Google consegue associar as palavras-chave com os termos presentes na URL.

Ter muitos backlinks, ou seja, outros sites fazendo referência (links) para seu site é outro importante fator de ranqueamento. Principalmente se outros sites forem bastante relevantes (ou seja, ter um Authority Score alto).

FATORES COM BAIXA CORRELAÇÃO PARA O RANQUEAMENTO

Alguns entendimentos comuns entre os profissionais de marketing digital acabaram sendo desvendados nessa pesquisa. Por exemplo, fatores de SERP (metadescrição, títulos das páginas e meta termos) possuem baixa correlação no ranqueamento. Isso quer dizer que ter um título ou metadescrição com as palavras-chave da busca não vai ajudar muito um site a subir para os primeiros resultados.

Experiência do usuário também não possui tanta influência no ranqueamento. Há um efeito indireto: se o usuário entrar no seu site por um termo de busca e ficar pouco tempo por conta de um site confuso ou mal escrito, o Google pode considerar que seu site não corresponde ao que o usuário está procurando, portanto, pode afetar seu ranqueamento. Mas aqui é uma combinação de fatores, que vão desde a composição visual até o conteúdo propriamente dito.

As principais conclusões da pesquisa são:

  • Conteúdo é rei. Faça conteúdo relevante, que seja claro e que cumpra com o que se propõe. Não há tamanho mínimo ou máximo para os textos.
  • URL ser amigável e atender ao que o conteúdo está abordando é essencial para atrair e reter o usuário.
  • Um bom conteúdo irá atrair a atenção de outros sites, gerando backlinks. Uma forma de dar visibilidade é postar nas redes sociais. Outros usuários verão seu conteúdo e poderão fazer esses links para seu site.

Para mais detalhes do estudo, acesse aqui gratuitamente.


NOVIDADE DA SEMANA

Apple supera Amazon em marca mais valiosa do mundo

Email image

De acordo com o ranking da Brand Finance, o valor da marca da Apple cresceu 74%, indo de US$ 219 bilhões para US$ 516,6 bilhões. Em seguida, aparece a Microsoft, com US$ 340,4 bilhões, e o Google, com US$ 333,4 bilhões. A Amazon passou do primeiro para o quarto lugar, com valor de US$ 308,9 bilhões. A NVIDIA teve o maior crescimento em percentual, com um aumento de 163% em seu valor e atingindo US$ 44,4 bilhões.

Dentre as empresas da América Latina, as mais valiosas são Corona Extra (México), Itaú (Brasil), Banco do Brasil (Brasil), Modelo Especial (México) e Bradesco (Brasil). Apesar de ser a segunda marca mais valiosa da América Latina, o Itaú apresentou um declínio de 4,4% no valor da marca, caindo de US$ 8,7 bilhões, em 2023, para US$ 8,4 bilhões em 2024.

Vi no Meio e Mensagem